Arquivo para maio \24\UTC 2009

Para Mateus, hoje*

*Na verdade era ontem, mas foi só pra ele pensar que a gente tinha esquecido…

Para contar a história completa desse blog, precisamos voltar a 2004. Sim, porque de certa forma foi há mais de 5 anos que esse blog começou; ou pelo menos o núcleo praiano do blog. Isto porque em 2004 eu conheci Mateus. Ficamos no mesmo quarto no acampamento da MPC. Mas não deu pra conhecê-lo muito, porque ele sumia o dia inteiro, e só aparecia na hora de dormir. Muito melhor foi em 2005, quando como capitão da equipe do enduro, perdeu nossa equipe no meio do mato. Assim, de ano em ano, o reencontro certo tornou-se em amizade profunda, e em laços de confiança, que a distância não enfraquece. Sempre andamos no mesmo Caminho, mesmo antes deste espaço existir… E, é claro, foi ele que me ensinou o caminho que leva a Valadares.
Aliás, quanta coragem o levou a Valadares! É bem possível que a recepção não tenha sido a mais cortês possível. Foi quase hostil, até, num acampamento de carnaval da igreja da Ilha. Mas já ali, deu pra perceber que o Mateus tinha fibra. As outras viagens a Valadares só vieram a confirmar isso.Não demorou muito tempo pra que ele se tornasse um amigo além dos motivos que o levaram a Minas. Sobrou a amizade pela amizade. E o acampamento de carnaval da Oitava de BH e o blog, depois, só fizeram selar isso.
Por isso, hoje, nosso parabéns é para ele, que, por pura (falsa) modéstia, quase não quis fazer parte do blog, mas que é fundamental para todos nós. Mateus Probst, que Deus te abençoe a cada dia, conservando-o sempre junto a Ele e a nós nesse Caminho!

Esperança e vaidade

por Alfredo

“Se a esperança que se tem fosse apenas nessa vida, não houvesse nada além, nenhum sonho pra sonhar, que esperança mais perdida, ai meu Deus…”

Incomoda-me o tanto que vivemos preocupados com tudo o que vamos fazer. Seja com a faculdade, com o trabalho, com o outro dia, com o mesmo dia, com o próximo minuto. E é sempre assim, essa correria.

Perdemos a cabeça, ficamos chateados, irritados… Coisas que atrapalham a nossa convivência por motivos bobos e que não nos levará a nada nessa vida, sendo que um dia a gente vai morrer e tudo isso ficar para trás.

Como já dizia Salomão: “Tudo é vaidade e correr contra o vento.” E é assim mesmo! Fazemos planos, sonhamos, criamos o nosso projeto de vida, mas um projeto que se resume só nessa vida, nessa vida mortal, esquecendo do nosso destino que é eterno.

Não que devamos largar tudo aqui pra pensar só no que é eterno, mas é viver aqui pensando no que há por vir, não viver aqui para aqui!

A vida aqui é triste e nada nos traz de bom: tanta guerra, violência, decepções, queda de valores: o mundo está mesmo depravado!

Infelizmente é isso que tem tomado conta de nós e nos faz tão desesperados. Somos englobados por essas atrocidades e acontecimentos que esquecemos o nosso papel de “estrangeiros” aqui. Não quero passar um pensamento catastrófico e apocalíptico, mas apenas atualizar a visão desse mundo.

É preciso ter muita fé e esperança no futuro eterno para, assim, vivermos essa vida tranquilamente, sabendo que o melhor ainda virá e que tudo aqui há de passar. O nosso mundo não é esse, e a nossa vida não é aqui, porque tudo que se faz debaixo do sol é vaidade e correr contra o vento…

“… Quando a vida se acabar, nova vida vai brotar, sem paixões, sem dor, sem guerra.” *

 

* Música de João Alexandre