A ansiedade e o “natural de Deus”

por Jotapê

Como o blog (pra mim, e para os outros de forma mais efetiva) surgiu do acampamento de carnaval, nada mais justo do que compartilhar aqui um texto que foi compartilhado na primeira das breves (y) devocionais feitas no quarto dos garotos. Esses momentos serão lembrados com certeza por todos aqueles que lá estiveram; em mim, deixaram uma marca que ficará para sempre, de momentos de grande alegria e comunhão, com pessoas que eu acabara de conhecer, mas que afinal também eram do Caminho, e por isso tínhamos (e temos) tudo em comum. A todos, do quarto ou não, meu abraço mais apertado.
O texto em questão é um de meus preferidos, e se encontra em Mateus 6.25-34. Isso porque ele trata, com a doçura das palavras de Jesus, de um tema muito real em nossas vidas, na minha com certeza: a ansiedade. Seja aqueles que estão diante do terrível vestibular, seja aqueles que já cruzaram essa porta de entrada no Olimpo, e descobriram que é apenas o começo, ou os que no meio do caminho param e se perguntam: “Quê que eu to fazendo? Quê que eu vou fazer da vida?”, todo mundo passa por essa situação de ansiedade. Isto é, todos nós ficamos aflitos diante de situações que em geral nem podemos controlar, ou prever seus resultados. E aí entra a maravilhosa resposta de Jesus.
O argumento do Senhor é impressionante em sua lógica, e simplicidade. Primeiramente, ele reordena as nossas prioridades (v.25). Não adianta perdermos tempo e energia e negligenciarmos aquilo que é fundamental; quando olharmos para trás, veremos que desperdiçamos muito de nossa vida. O Senhor também fala da inutilidade de nos preocuparmos com aquilo que foge ao nosso controle (27); não faremos o tempo correr mais rápido nem mais devagar, nem mudaremos o mundo com a nossa ansiedade.
Mas de tudo, o exemplo usado por Jesus é o que mais me fascina: é um convite a admirar a criação de Deus (26, 28-9). Toda a criação é um deslumbrante tratado sobre o cuidado de Deus, e está sempre à nossa disposição, para que aprendamos com ela. Pare! Olhe um pouco à sua volta, e veja o quanto Deus cuida de você, muito mais do que das aves… É impressionante como em nosso mundo gospel, as pessoas clamam cada vez mais pelo “sobrenatural de Deus” (seja lá o que isso for). Esperam grandes acontecimentos, que o céu se abra num grande evento pirotécnico etc. Mas cada vez mais me fascina, e me basta, contemplar o natural de Deus, como o próprio Senhor nos orientou tantas vezes. Os exemplos que Cristo utilizou para explicar sua mensagem e vontade eram sempre de coisas naturais, de nosso cotidiano. O mundo que ele criou está cheio da sabedoria divina, mas muitas vezes não percebemos. Estamos cada vez mais desatentos à voz de Deus, que quer nos falar a cada dia e em todo lugar; por isso, nos tornamos “homens de pequena fé” (30).
Jesus nos mostra que nos inquietarmos com tantas e pequenas coisas é desconhecer a Deus, porque ele sabe das nossas necessidades (31-2). Basta colocarmos tudo diante Dele. Assim, revendo nossas prioridades, e buscando o mais importante primeiro (33), teremos a serenidade de viver um dia de cada vez (34), sem tropeçarmos em nossos passos. Mantendo atento o nosso olhar atento ao “natural de Deus”, descansaremos sempre em seu cuidado.
Assim seja.

Anúncios

6 Responses to “A ansiedade e o “natural de Deus””


  1. 1 André Eler março 23, 2009 às 1:07 am

    Jotapê, confesso que seus argumentos sobre buscar aquilo que é fundamental, mais um estudo domingo passado sobre as recomendações aos bispos e diáconos em I Timóteo, feito pelo Rev. Marcelo Smargiasse, aqui da IPBut, e tudo o que nós dois conversamos no acamps de carnaval, tudo isso me deixou ainda mais confuso sobre meu futuro.

    Apesar disso, tenho confiança e esperança que Deus tem o melhor pra mim.

    • 2 Felipe março 25, 2009 às 2:05 am

      Muito obrigado!
      Muito obrigado!
      Muito obrigado!
      Que o Senhor abençoe os bons propósitos de vocês! Guardem a certeza de que ele olha, ampara e se felicita com esse pequeno empreendimento de vocês!

      Abraço forte

  2. 3 Luiza março 24, 2009 às 10:49 pm

    Nossa, João Paulo, muito bom !
    Li essas palavras como se elas tivessem saído de dentro de mim, de verdade. Não apenas por ter sido muito bem escrito (risos), mas principalmente por sua forma de ver as coisas com relação à nossa ansiedade.
    Muito bom, muito bom ! 🙂

    um beeijo.

  3. 4 Patrícia (ifcs) maio 14, 2009 às 6:23 pm

    Jonh, lindas palavras vindas daquele que segue no caminho certo. Você vai longe, vivendo um dia de cada vez.
    Espero que este blog seja canal de comunicação e expressão dessa juventude que não foge à luta.
    Parabéns!!!
    bjus.

  4. 5 C. maio 27, 2009 às 7:40 pm

    Lindinho,

    Você é a coisa mais cutcut da minha vida, mesmo depois de ficar magrelo e esquisito. Continue escrevendo com essa clareza de idéias e simplicidade. Adorei o texto. Este é um tema muito presente na minha vida ultimamente, pois vivo esperando um telefonema ou um e-mail com boas notícias. Esse dia tem demorado a chegar, mas aqui em minha casa nova tenho encontrado muito conforto no “natural de Deus”, seja num mergulho na praia ou vendo um lindo pôr-do-sol de outono na minha varanda. Impossível não ver o cuidado de Deus na minha vida!

    Beijos!


  1. 1 A ansiedade e o “natural de Deus” « Jotapê Trackback em fevereiro 1, 2010 às 3:30 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: